Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Perna perna

Vivemos como os moluscos.
Rúpteis perante um oceano ingente e sem alento.
Urge, portanto, nos proteger:
construir conchas sólidas de conhecimentos.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Tributo a Frederico


Poeta não tem idade
seu tempo é neutro,
escreve como um menino
pensamentos impensáveis.

O tempo andou desenhando seu rosto
com uma navalha afiada,
mas sua poesia continua ali
um nascer a toda hora
um grito de eternidade.

domingo, 26 de julho de 2015

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

AUSÊNCIA ESSENCIAL


Permita que se vá
o que não é mais teu,
consinta na partida do que não tem mais volta
deixa expirar o que a vida não mais respira
olha para o céu e para a terra
que o verossímil da vida te vigia
retorna célere à tua jornada
o antanho é pretérito, é inútil
o amanhã é o porvir, uma página ainda não lida,
mas o presente é a prenda que te apresenta o varejo da vida.

Desabafa aos meus ouvidos
se me entenderes por querido,
pranteia ao teu pai eterno a tua incompreensão,
lacera esse manto de martírio que te sombreou
há muito para aprender nesse mistério
nesse pesar que silencia o som das estrelas
temporariamente, impedindo que observes
a sempiterna dádiva do tempo
o vital e o mortal em segredo
na bem-aventurada saudade que nos permite continuar sem medo.

É factível nos conformar nesse momento.
Mesmo quando Deus aperfeiçoa seu último retoque em quem mais amamos,
só a saudade  perpetua a essência de quem se foi, como alento.
Com o passar dos dias, essa dor suaviza
e adquire a forma serena de aguardar,
pelo que ainda nos falta,
um dia tornar encontrar.



quarta-feira, 30 de julho de 2014

quarta-feira, 23 de julho de 2014